Hoje vou passear a Isis pela 1ªa vez, parece incrível, mas só agora é que pude fisicamente passea-la! Pensava eu que tinha força! É uma cena de filme mesmo, sinto-me a ser passeado pela rua. Eis que a louca avista um cãozinho minúsculo que eu só me apercebo quando os meus sapatos começam a deslizar pelo chão molhado. Só me faltam mesmo os patins em linha!

Vou a lx!

Ahhh, sabe bem ir à capital novamente ao volante. É a 1ª viagem que faço desde de que saí do hospital. Parece tudo diferente. Até a estrada que eu já conheço de olhos fechados me parece estranha! A minha mãe faz de co-piloto, ficou mais descansada em vir comigo, depois de tudo tudo o que se passou. O Filipe ficou em casa, está doente.

O tempo está esquisito, imensas nuvens no céu esperam desabar sobre nós e o vento insiste em desviar-nos da faixa. Eis que chegamos à ponte Vasco da Gama, nesta margem as garças aconchegam-se às centenas como se de uma reunião secreta se tratasse e na outra margem Lisboa!

Fomos ao Vasco da Gama almoçar. Com a chuva que fazia, o melhor mesmo é estacionar num parque subterrâneo. A minha mãe parecia uma campónia quando se apercebeu dos bonecos que circulam no tecto do piso 0, parece ela que nunca lá tinha estado! Fomos atrás de um cartaz de saldos… viciados! Acabamos por fazer compras! Almoçamos na Cervejaria Lusitana. E tomámos café e um tristino no “Café di Roma”. Hummmm que bom!

Rápido, rápido que estou atrasado. Fiz-me à estrada até ao técnico, tenho uma reunião com o André e com o Eng. Jorge Lopes sobre um projecto novo que vamos fazer. Foi bom encontrar a Lurdes. Só não encontrei mesmo o Prof. João Bento nem o Francisco! Deram os dois em Workaholic’s!

Chuva e mais chuva…. Que bom chegar a casa, ao quentinho. A Isis parece louca! Acho que ela julga mesmo que é uma de nós… festas e mais festas não parecem satisfaze-la…