Hoje, repetiu-se o ritual lá na empresa, todos os anos, um a um, vamos ao
“confessionário” que é como quem diz temos uma “Entrevista de Avaliação
de Desempenho”, ou em português: temos uma reunião sózinhos com os chefes
em que a gente leva uma ficha de auto-avaliação sobre o nosso desempenho
laboral no ano anterior e eles nos classificam pela mesma folha, depois num
espirito libertador desabafamos tudo uns com os outros e libertamo-nos de
toda a raiva laboral que acumulámos durante um ano! Sim, é o dia para
GRITAR, ESPERNEAR, etc…

Críticas à parte, acho uma ideia inovadora, pelo menos dá-nos a
oportunidade de ficar registadas as nossas críticas, sugestões e
apreciações da vivência na empresa. A classificação é porreira e conta
para o cálculo do prémio que anulamente é distribuido aos funcionários!

A minha ida ao confessionário correu bem, eu não aspiro a ser excelente e
muito menos o melhor, acho que até sou demasiado exigente comigo e com os
outros, mas aparentemente isso aos olhos dos chefes é tido como bom (digna
do Dilbert, hein?). O resultado foi melhor que o esperado, ouvir os nossos
chefes dizerem: “És Bom, tens potencial para ir longe” é algo que nem
todos se podem orgulhar de ouvir, muito menos nos dias que correm, em que
muitos chefes precisavam de passar uma temporada a ouvir e acatar ordens que
eles proprios impôem aos seus subordinados!

Enfim, a dúvida que fica sempre é se aquilo que lá fica escrito é tido
em conta por alguém…. daí o eterno dilema: FALAR ou FICAR CALADO….

Este ano obtém pela segunda….

Para o ano há mais!