Viver com uma Arquivista tem destas coisas, mais tarde ou mais cedo mesmo sendo informático apaixonamo-nos por coisas antigas. Hoje por exemplo enquanto lia a Slashdot, descobri que a Biblioteca Nacional Inglesa tem vindo a publicar alguns livros bastante raros e antigos em formato digital, o Projecto intitula-se “Turning Pages“, mal traduzido qualquer coisa como “Virar Páginas”.

Se a nossa Biblioteca Nacional coordenasse algo semelhante, ainda vinhamos a descobrir que Portugal tem de certeza uma fortuna a estragar-se algures por uma cave ou depósito bafiento de alguém, mas pronto isso sou eu que gosto de mal dizer! :b

O Livro de Apontamentos de Leonardo da Vinci foi o que me levou a querer ver mais, acabei por descobrir o “Alice no país das maravilhas” ou melhor o “Avenduras de Alice debaixo de terra” foi uma surpresa engraçada, porque os desenhos originais da autora são muito semelhantes aqueles que nos chegaram pelos desenhos animados e filmes.

Agora a minha surpresa maior, e perdoem-me mas história nunca foi o meu forte, não porque não goste mas porque o ensino público que me calhou assim o decidiu que eu nunca desse mais do que o renascimento, fiquei surpreso com a precisão do primeiro atlas europeu! Data aproximadamente de 1570 compilado pelo Mercator, é surreal e aconselho quem o espreitar que use a lupa, é que amigos descobri por lá muitas terrinhas de hoje perfeitamente marcadas, algumas que ainda hoje são vilas, para que se perceba o espanto!

De relevo é ainda interessante “rodar” o livro mais antigo impresso da colecção, o Diamond Sutra impresso na China em 868.