SAPO TagsFoi ontem lançado um novo serviço do SAPO, desta feita o “SAPO Tags. Nesta fase o serviço pretende disponibilizar em Português um serviço semelhante a outros sites como o del.icio.us ou o ma.gnolia que basicamente permitem a cada utilizador não só manter uma lista de bookmarks (favoritos) mas também partilhá-la com outros.

SAPO Tags screenshot

Uma das principais vantagens destes serviços é o facto de podermos manter de facto um registo histórico das nossas bookmarks acessível a partir de qualquer computador. Esse é o motivo principal pelo qual eu os uso! No entanto, não posso deixar de chamar à atenção (e talvez até ajude a explicar o nome do serviço) para a utilização de Tags neste serviço, as tags têm vindo a ter um papel cada vez mais importante na internet, isto porque, até à bem pouco tempo havia duas formas típicas de organizar informação e posteriormente recuperá-la:

  • Categorias: neste domínio encontramos o directório do sapo ou mesmo o yahoo, onde cada um destes portais mantinha uma lista de categorias actualizada onde “armazenava” cada link, segundo os critérios de cada categoria.
  • Pesquisa: a maior parte da web ficou no entanto de fora das categorias pelo que foi preciso arranjar formas de apesar de não “catalogada” descobrir a informação. Surgiram portanto os motores de pesquisa, que não limitados por uma categorização rígida, analisam e indexão tudo o que está acessível na internet.

pois bem, até agora parecia suficiente, no entanto os motores de pesquisa sofrem de um problema, que muitos deles tentam vencer através de algoritmos inteligentes que é a “análise do texto”, nem sempre o Google por exemplo nos devolve resultados coerentes com aquilo que pesquisamos! E isso acontece porque o facto de uma palavra aparecer numa página não significa que a mesma seja relevante no contexto dessa mesma página. Por este “incidente” se estar a tornar cada vez mais vulgar, surgiu uma nova forma de classificação: as chamadas “folksonomies“, ou categorizações baseada em tags e feitas por pessoas, não conheço o termo português equivalente.

Tags, não são mais do que palavras ou termos, e palavras podem ser categorias, a diferença entre esta abordagem e as anteriores é a forma como a respectiva classificação ou neste caso atribuição de categorias é feita. Através das tags é feita pelas “pessoas” (folks) e não por algoritmos ou por um conjunto reduzido de pessoas, com critérios de classificação. Neste caso se um x número de pessoas guarda um determinado link ou bookmark com uma determinada palavra, é porque cada uma delas “achou” que aquele link devia ser “arquivado” sob esse termo. Há portanto “inteligência” nesta classificação! Inteligência essa que é distribuída.

O poder desta forma de organização vem precisamente dos números, quantos mais pessoas a usarem, mais precisos se tornam os seus resultados.

Eu viciei-me…

Hoje em dia é bem frequente em matérias de trabalho recorrer ao del.icio.us para pesquisar termos técnicos, ao invés de pesquisar no Google! Diferenças? No Google recebo resultados com todas as páginas onde esse termo possa ter sido usado, mesmo que não tenha nada a ver, no del.icio.us recebo uma lista de links que outras pessoas guardaram como sendo relevantes para esse termo. Em conclusão, a utilização de tags ajuda a limpar o “lixo” das pesquisas. O ideal seria usar um misto das duas! 😉

Sendo que o novo serviço do SAPO não pretende substituir nenhum outro, mas sim, criar e disponibilizar um serviço idêntico em português, aconselho-vos a todos a experimentarem-no e verem se não é de facto viciante! 🙂